MVIzquierdo

O Lado Esquerdo dos Blogs ou Aquele Blog Onde Você Sente Vergonha Alheia, Mas Tranquilo

Pesquisar neste blog

Translate

terça-feira, 31 de maio de 2011

Nu no Blog

Na aula de nu artístico, mesas de desenho em círculo e uma pessoa no meio, em cima de uma mesa, nua (como a própria modalidade já explica), fazendo poses.

Confesso que durante alguns minutos a arte ficou em segundo plano, já que a mulher ia realmente tirar a roupa numa sala com mais de 30 alunos de desenho. Eram tantos olhos e cochichos e lápis rabiscões.

Fiquei meio constrangido no começo, mas confesso que passou logo. - Faço este trabalho há 7 anos, e não estou aqui para seduzir ninguém. Isto é arte e também meu trabalho...

E realmente era uma arte ficar parado durante uns 7, 8 minutos na mesma posição, enquanto homens e mulheres analisam o desenho daquele corpo.

Os traços tinham que ser descompromissados, o tempo dava a chance de desenhar apenas esboços livres.

No final ela vestia um macacão, e ia embora. E ficava uma sensação de pura arte, de uma etapa essencial na vida de um artista concluída.

Na semana seguinte, a surpresa: Teremos uma aula especial de nu artístico! Mas espera... a modelo posou semana passada! O professor concluiu: “Mas esta semana será um modelo”
Apesar de os lápis terem sido levantados ao alto, como forma de protesto de uma sala cheia de homens, a arte venceu.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

O gostoso do frio...

Eu preciso confessar, não gosto muito do frio. Na verdade, o odeio. Mas admito que ele é inspirador. As pessoas ficam mais elegantes, se juntam mais ou ganham um motivozinho pra se isolar. E ainda dá pra curtir algumas delícias inspiradoras, que no calor ficariam meio fora de estação, como o Chocolate-Quente.

Ele é uma delícia. Dá pra desfrutar desde o calor que sai da xícara, o vapor, até o gosto do chocolate bem escolhido. O medo de queimar a língua no primeiro gole até a vontade de tirar o casaco no último.

Bem açucarado pra mim, por favor.

Outono e inverno podem não ser, pra mim, as melhores estações do ano; mas são as melhores para um bom Chocolate-Quente.


quinta-feira, 26 de maio de 2011

Quem é a chata da história?

Andando na rua, ouvi um grupo de meninas conversando. Uma delas se despede e, ao se virar, é claro, vira assunto.

Quem começa é a Leca: “E a Gabi, gente? Que chata essa menina. Só reclama”

As outras retrucam:
“Não, nem acho, Leca. Comigo ela é super gente boa.”
“Nossa, ela é mó engraçada.”

A Leca pressiona: “Ah não. Pra mim ela é uma menina estranha. Reclama muito!”

Mais uma defende: “Já fiz um trabalho com ela. De boa.”

Leca remata: “Ah, não sei. Pra mim ela é muito chata”

Eu não conheço a Gabi, mas como é chata essa Leca. Só reclama.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Ecoline

Nas aulas de desenho, o suor frio escorria pela testa quando eu ouvia o professor dizer:


- Agora pinte com ecoline! Ecoline. Ecoline.

O eco fica por conta da minha lembrança, é claro. Lembrança de desespero, misturado com preguiça.

Ecoline, pra ter uma ideia, é uma tinta aguada, parecida com nanquim. O que fazia tudo ficar borrado. Aquele trechinho específico onde tinha que ser pintado com aquele azul bebê (que você conseguiu depois de ficar horas misturando com água) sempre espalhava e manchava todas as cores em volta.

Se o desenho fosse muito complexo e você não fosse Da Vince, nem valia a pena tentar. Até ele teria dificuldades de pintar com o negócio.

E depois de horas pintando, você se dava conta: como achar de novo aquele tom azul bebê que você conseguiu depois de ficar horas misturando com água? Daí a diante, era só chorar e espernear.

Além de tudo, o negócio era caro pra danar. Eu odeio ecoline.


terça-feira, 24 de maio de 2011

A terça-feira do auto-engano.

Existem formas muito práticas de fazer com que você sinta feliz e orgulho de si mesmo, não é?

Umas delas, sem a menor sombra de dúvida, é fazer crer que você é uma daquelas pessoas saudáveis, pondo alguns leguminhos no prato. Não precisa ser muito, umas vagens e um talo de salsão são o suficiente.

Pronto! Você entra nas nuvens. A sensação é a de dever cumprido. Sua criança interior sabe que deixou o trauma materno orgulhoso. Você curte uma experiência de leveza extracorpórea.

Se você come muito fast-fold, a sensação chega ser de desintoxicação.

Então já sabe: se você estiver triste, com uma baixa auto-estima, ou simplesmente se achando um pouquinho acima do peso, ponha legumes no seu prato, e seja feliz por incríveis cinco minutos. Parece pouco, mas para uma terça-feira, vale a pena.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Trabalhar não é fácil.

“E, apesar de eu não ter trabalhado ainda, eu sou uma pessoa que apresenta disposição e, e...”
Lucy, além de tudo, ainda apresentava nervosismo e ansiedade, na sua segunda entrevista de emprego.
“Olha, nós vamos examinar a disponibilidade, e ligamos assim que tivermos alguma resposta, certo?” Diz o homem do RH, consciente de que falava com alguém que acabou de completar seus 17 anos.

A vida de Lucy começava a mudar. Mas o fato de ter de trabalhar dificultou um pouco a vontade de mudar de vez. “Arranjar emprego é obrigação, se quer casar”, berrava-argumentava sua mãe de hora em hora.

Mas, para Lucy, casar era preciso. Virou urgência com o telefonema que trazia a notícia do emprego!

“Olha o que você vai fazer: Você paga todo dia essas contas, pede recibo, põe data em tudo, dá baixa. Depois faz relatório e entrega todos os pedidos e malotes para cada departamento.”

“Em todos os 30 andares?”

“Todos 30, e tudo que tem pra entregar pega no subsolo. Ai faz relatório de novo e depois manda tudo aqui pra minha sala.”

“Uau, quanta coisa”, disse Lucy, ofegante.

“Mas é só isso, mesmo. Ah! Lucy, pega um café, por favor?”

E começou a correria. Lucy era um maestro. Ninguém pagou tão bem aquelas contas! Os relatórios? Textos de fenomenal trama, de estilo megalomaníaco. As entregas todas de sorriso no rosto. Pernas? Não corriam, voavam...
No final do dia, tudo na sala do chefe. E também a bronca: “cadê o café?!”

No dia seguinte, dores, enxaquecas, e um leve cacoete que se formou nos lábios pelos sorrisos do dia anterior.

O casamento foi adiado, a paixão já nem era a mesma. E logo após a noticia ser dada à mãe, o xeque mate esperado: “Minha filha, se não aguentou um dia assim, casar será impossível pra você”.

Lucy virou feminista e pensa em cursar filosofia.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Saber, Honra e Disciplina.

- Onde você estudou?

- No Colégio da Polícia.

Incrível como essa resposta pode deixar uma pessoa atordoada.

- Da POLÍCIA?!

Em algum momento do interrogatório, preciso explicar:

- Tiro ao alvo? Armas? Táticas de guerrilha? Não! Não! Matemática e português, mesmo.

Mas em determinadas ocasiões, não dá pra ficar sério.

- O uniforme era uma farda, é claro. Posso manejar o revolver, só que para a posse legal preciso esperar o diploma. O ano mais difícil foi a 6º série, não aguentava o armamento pesado.

Ninguém entende que um Colégio da Polícia é um colégio. Por isso, quis botar tudo para fora e dizer: “Tive uma vida escolar NORMAL”, e “Não sou um soldado por causa disso”.

Algumas diferenças podiam até existir, mas isso é matéria para um próximo post.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Uma história sobre o frio.

Inverno, alguns anos atrás. Era a minha 10º ou 15º aula de direção, condizente com os graus que faziam fora do carro.
A instrutora era muito simpática, uma alma cheia de paciência. Eu estava no volante, ela no carona, e depois de alguns minutos sem falar nada, começou aquela pressão pra falar alguma coisa. Qualquer coisa. Ela apelou para o tempo:

- Olha! Esse frio todo e essa mulher de camisa regata.

Meu olhar foi de frações de segundos, pois queria me habituar com o fato de ter que olhar para a frente, na hora de sentar num carro, daquele dia em diante. Deu pra reparar que a mulher era bem gorda. E pra falar alguma coisa além de “aham aham”, disse:

- Ela é bem gordinha, né. Acho que ela sente menos frio.

Ela, rindo: - Coitada da mulher!

Eu insistindo: - É sério. A gordura esquenta.

Ela riu novamente.

Tentei argumentar: - Por exemplo os ursos, eles têm bastante gordura, por isso não sentem tanto frio.

- HAha. Mas eles é por causa do pelo. Do pelo. Ai, Marcelo. Você só fala besteira.

A conversa continuou até bem depois do percurso. Não a convenci.

Tem gente que deveria ver mais Globo Repórter.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

terça-feira, 17 de maio de 2011

Festa infantil não é brincadeira.

Bolo na TV, papel de presente no lustre, o controle remoto... nunca se acha o controle remoto no PÓS FESTA INFANTIL! Sentiu um arrepio, leitor? Compreensível.

O tio que ficou bêbado e dormiu na sua cama é um mero detalhe do terror que esse tipo de evento social proporciona. Os pais enlouquecidos correm para socorrer a criança que deu uma joelhada no próprio queixo, situação corriqueira no pula-pula.

Os irmãos mais velhos todos fechados no computador olhando sabe-se-lá-o-quê. Melhor não descobrir.

Todas as irmãs mais velhas reclamando sabe-se-lá-o-quê dos irmãos mais velhos presos no quarto.

Choros intermináveis, crianças reclamonas e a Carolzinha, perdida no meio da sala, horas depois de a festa já ter acabado. Provavelmente seus pais a esqueceram lá propositalmente.

Os pais do aniversariante, desgraçados pais, acharam que uma festa não faria mal a ninguém.

E no final, quando você vai dormir, e acha que tudo já acabou, o suor do tio marcando uma leve silhueta no lençol da sua cama vira o prenúncio da morte.

Sem contar que acabaram levando a Carolzinha para casa. É sempre uma Carolzinha.

Mas tem mais ano que vem.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

1 real por uma bênção.

Fim de noite e eu voltando para casa de carro. No rádio, nenhuma música que prestasse. Acabei parando numa rádio religiosa, e a surpresa:

- Que a benção de Jesus esteja com todos vocês. Agora eu quero falar uma coisa importante. Se você está com dificuldades, eu te digo o que você tem que fazer: é só depositar 1 real na minha conta. Um real por pessoa. Se você tem uma família de cinco pessoas e quer ver todos abençoados, deposite 5 reais na conta xxxxxx.xxx. É a minha conta. (ele ressaltava, para deixar os ouvintes seguros) Ou mande uma mensagem pro meu celular, pedindo o número da conta. É fácil.

E eu achando que acabaria por aí. Santa ingenuidade.

- Vamos abrir para os ouvintes. Alou, quem fala?
- Rogério!
- Tudo bem, Rogério?
- Com a graça de Deus.
- Amém. Você depositou na minha conta, Rogério?
- Sim!! E com a graça de Deus fui abençoado.
- Que benção. Então diga pra todos que depositou o dinheiro e que Deus te ouviu!
- Com a graça de Deus.
- Amém. Rogério, deixa eu te fazer uma pergunta. Você sentiu a unção do Senhor ao depositar o dinheiro na minha conta?

Antes da resposta, desliguei o rádio e fechei os olhos em oração, torcendo que batesse o carro na via.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Grande, Mauricio!

De jornalista, ele passou para quadrinista, que passou para empresário, e agora é o dono de uma das cadeiras da Academia Paulista de Letras.

O cara é Mauricio de Sousa. Nem precisa dizer mais nada. Esse é simplesmente um dos nomes mais populares significativos do Brasil; só perdendo para Justin Bieber e Harry Potter.

E esse post é uma homenagem para esse homem de visão e criatividade, que mostra que dá pra fazer boa arte com simplicidade; e até mesmo fazer uma boa grana com isso.

Parabéns pela conquista, Maurício. Por mostrar, além de tudo, que quadrinho também é literatura.



quinta-feira, 12 de maio de 2011

Tá na mão!

Podem já ter inventado agenda de papel, agendas eletrônicas, celulares inteligentes e namoradas preocupadas, para mim o melhor jeito de me lembrar de alguma coisa é escrevendo na palma da mão, mesmo.

É rápido, prático, e quando você menos percebe acaba lendo a mensagem e se lembrando daquilo que não podia esquecer.

É só tomar cuidado na hora de lavar as mãos e tomar banho. Tem que haver a preocupação de reescrever em cima do original, caso o lembrete seja muito importante, ou a preguiça para cumpri-la muito grande. E pronto.

Os amigos caçoam, as pessoas acham antiquado, mas a verdade é que funciona.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Algo para esquecer.

Um professor de literatura disse, uma vez, numa aula do cursinho:
-A gente precisa aprender a esquecer também.

Disse num momento em que, a postos a entrarmos na faculdade (óbvio, isso não é uma regra), 60% da matéria daqueles milhares de livros e cadernos repletos de anotações seriam inúteis.

Levei o aprendizado para outros campos do saber e da vida.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Espionagem.com

Engraçado, quando olho o mapa de visitantes deste blog, fico me perguntando: quem raios me visita de Mountain View e de Palo Alto, ambos da California; e lá de Springfield, Missouri?!

Fiquei feliz quando aparecerem pela primeira vez, mas eles me visitam sempre! Por quê?

Curioso como sou, fui atrás da resposta. E veja só, o negócio, na verdade, significa... Espionagem! Não, não é teoria da conspiração. Em Palo Alto fica o quartel general do Facebook.



E em Mountain View a cede do Google!



Sim, é isso mesmo, ou os manda-chuvas da internet adoram o meu blog (o que é um pouco difícil de acreditar).

E quem vocês acham que trabalha para os donos da rede? Quem é o cabeça de ferro da operação toda? Já desconfiava...
De Springfield, Missouri:
Espionagem.com

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Mães...

Uma amiga me parou para que eu visse as fotos dela, no facebook. Na verdade ela me obrigou, me puxando pelo braço e me mandando sentar na cadeira, quase que violentamente.
Não me choquei que o álbum fosse todo de fotos do filho de 2 anos dela.
Enquanto olhávamos o menino se divertir no parquinho, eu ouvia a cada instante um: “Ai, olha como meu filho é lindo”
Ou um: “Ai, olha a carinha dele comendo macarrão.”
Arrematando com o famoso: “Ai, mão é tudo besta, né?!”

Mãe é mãe.








quinta-feira, 5 de maio de 2011

Curta baseado em fatos reais... (com anotações originais do autor)

"A grande novidade" Escrito por Marcelo Izquierdo

Cena única. Corredor da faculdade. Externa. Noite

GAROTA PASSA PELO CORREDOR DA FACULDADE, ABARROTADO DE JOVENS SEGURANDO LIVROS E NAMORADAS (atenção: ficaria mais real se “livros ou namoradas” ou apenas “namoradas”). ELA ESTÁ COM UM MINI SHORT, CAMISA QUE MOSTA O UMBIGO E UM LENÇO NO PESCOÇO (ou qualquer figurino com gasto total maior que o saldo bancário anual do Vaticano). COM UMA MAQUIAGEM FORTE, CABELOS SOLTOS E ALISADOS E DEVE TER UMA VOZ ESTRIDENTE E CHATA. ELA VEM CORRENDO E PARA AO LADO DE UM RAPAZ E FALA COM ELE (ou melhor uma conversa com o espelho enquanto passa o rímel? Refletir sobre essa questão).

GAROTA
(fascinada)
Você viu o novo estudo fantástico
com células-tronco?

RAPAZ
(ingenuamente)
Uau! Não... Qual?

MOMENTO DO SOLOQUIUN DA GAROTA. ELA TEM DE PARECER INCERTA E COM UMA VONTADE ENORME DE SIMPLESMENTE FALAR.

GAROTA
Ah, sei lá, por exemplo: você injeta células-tronco...
vai... no canto do olho. E elas meio que
regeneram a pele, e diminuem as rugas.
Ou algo assim!

RAPAZ
(Pasmo)
Nossa, que evolução.

GAROTA
Já imaginou como o mundo vai ser no futuro?

CLOSE NO ROSTO DO RAPAZ COM UMA EXPRESSÃO INCERTA. ALGO COMO CÓCEGA NOS PÉS.

NESTE MOMENTO COMEÇA UM CLIPE COM CENAS ENTRECORTADAS DE BARBÁRIE; DO PROGRAMA “ZORRA TOTAL” (e/ou A Praça é Nossa) E DE QUALQUER FILME DE LUIS BUÑUEL (e/ou aquele filme super fofo com a Reese Witherspoon).

FIM

quarta-feira, 4 de maio de 2011

De cabeça baixa pelas ruas...e não é de tristeza.

Quando era pequeno, devia ter uns 4 ou 5 anos, de vez em quando para a praia, na casa de um tio-avô. Com o tempo, reparei que toda vez que íamos de casa, o velho só andava de cabeça baixa.

Era estranho. Ele era muito engraçado, falava com todos e sempre tinha uma peça para pregar você; mas quando saía na rua, virava o Quasímodo: curvado, com cada olho apontando para um lado diferente, chegando até a babar, de tão compenetrado.

Perguntei pra minha avó “Por que ele só anda de cabeça baixa na rua?”

Ela respondeu, para a minha surpresa: “É que há vinte anos atrás, quando seu tio-avô estava andando na praia, ele olhou para baixo e achou um brinco com diamantes. E agora não olha mais para a frente”

Ri muito naquela hora, mas percebi que acabei olhando para baixo também. Me repreendi, mas, vez ou outra, lembro do meu tio-avô, e acabo me pegando olhando para baixo, procurando coisas de diamante.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Vida e poética.

Vida é fluxo eterno; é o sereno turbilhão que nunca repete um movimento sequer.
É como a ideia inesgotável, inspiração contínua; impulso vital que energiza o ânimo e dá ao homem força, habilidade e engenho.
Esta é a forma pura da Vida, como Alma.
Mas poucos são os homens que vivem a Vida em vida.
Aos que não se movimentam, criam ou multiplicam, só lhes resta fenecer no frio asilo dos corpos.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Minha vida é sem limites...

Sem limites para andar, andar e andar, quando perco o ônibus.

Sem limites para pensar, quando preciso de uma resposta rápida para “Concluiu o trabalho, Marcelo?”

Sem limites para expressar meus mais íntimos sentimentos, no momento em que a verdade não cola mais.

Sem limites para dizer tudo de bom que penso... sobre aquele assunto que a maioria prefere ouvir.

Sem limites para amar meus inimigos, quando estou em desvantagem.

Sem limites para desejar tudo. Principalmente dinheiro, que anda muito em falta.