MVIzquierdo

O Lado Esquerdo dos Blogs ou Aquele Blog Onde Você Sente Vergonha Alheia, Mas Tranquilo

Pesquisar neste blog

Translate

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Férias

Depois de semanas de estresse e problemas, férias para todos. Nos vemos daqui uma semana.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Manual de como não se produzir um curta

A hora da gravação está chegando, quase tudo está pronto e decidido. A maquiagem pelo menos já está riscada da nossa relação de problemas.

Pra quem não sabe, nosso curta terá aparições de um palhaço, cortes no rosto, e tudo que faz o trabalho de maquiagem mais excitante. Mas as coisas vão muito bem. Uma maquiadora caiu do céu. Ufa.

No começo da semana a Evelyn Barbieri, a maquiadora, fez os testes necessários.

Antes de começar, a Evelyn fez cosquinhas no Nícolas


Mas depois matou ele

Arsenal

 
O Melquior... bem, deu pra ver já, né?

Divertido!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Brincanagem semiótica

É muito divertido ver como dá pra brincar com uma foto dando milhares de sentidos pra ela, alguns até absurdamente idiotas (que é onde está a graça da brincadeira).

Este homem sofre de dor de cabeça
 
Este homem sofre de calvice
A mulher deste homem não é confiável

Este homem tem o dom da telepatia

Este homem não lembra onde pôs as chaves
Este homem leu meu blog...
Divertido...

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Carta de amor

Já perdi as contas de quantas vezes já me esqueci de mim, olhando para você; e já a esqueci, obrigado a olhar para você.

Tantas vezes já me convenci de que nosso intenso sentir-se-bem ao lado do outro era, somente, triste prova de querida amizade; entendia eu, repetia a mim. Eu obrigava os meus constantes sentimentos a determinadas despedidas.

Mas a vida foi me dando chances de viver maiores oportunidades, de me fazer novas perguntas, já que as antigas já iam se respondendo; e eis que alcanço um traço (tímido) das características que teria de possuir para me dizer forte.

Neste exato momento, você veio a mim: abraços compridos, sorrisos no rosto (como lhe é natural), mas com inesperado calor, numa nova mulher.

Me estarreci. Será que percebeu minha mudança? Será que dei provas nos olhares, nas graças e brincadeiras? Você me revelou vontades de beijos! Meus beijos? Lhos dei todos! De olhos fechados (para provar) e de olhos abertos (para comprovar). E me abri eu a você, agora.

Minhas determinações na vida ganharam cor. Vi naquela mulher uma chance de bonitos sentimentos; de busca pela poesia-de-todo-momento; pelo amor que é de direito dos que vivem.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Manual de como não se produzir um curta

Depois de mudanças intermináveis no roteiro, chegamos à nossa história.

O nosso perfeccionismo foi barrado pelo cronograma, já que faltam apenas duas semanas para as gravações. Expectativa.

Outro dia tivemos o primeiro contato com real com o elenco. O ator protagonista ensaiou com a gente duas das cenas do curta. A experiência foi ótima. Já temos algo para contar para nossos netos, caso as coisas terminem por aqui.

PS - tivemos notícias do fronte: um grupo amigo está gravando o curta dele. Dizem que, entre eles, já não são mais amigos. Tensão.

Roteiro: Está acabado. Ponto para nós.

Elenco: Todo montado. Já tem o roteiro em mãos. Ponto para nós.

Gravações: Faltam apenas duas semanas. Locação está ok. Ponto para nós.

Figurino, iluminação e maquiagem: Deus tem sido generoso conosco. OK Ponto para Deus.

Objetos de cena: Sábado foi o dia em que os compramos. Ponto para a 25 de Março.


 
Ator Zé apontando alguns erros de grafia, no roteiro


 


sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Modernidade e melancolia

“... todas as relações recém-formadas envelhecem antes de poderem ossificar-se. Tudo que é sólido se desmancha no ar”

Marx e Engels, 1973, p. 70. Versículo 10.

Lá vem a Melancolia de novo.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

São Paulo Fashion Week

Não tem mais como saber o que vestir em São Paulo; ou o que levar ou o que deixar em casa. O tempo fica toda hora pregando peças. Domingo passado estava sol e color. Ontem, chuva e frio. Entre domingo e ontem tiveram apenas dois dias, e não duas estações, como seria o aceitável.

Na hora de sair de casa, é preciso vestir uma blusa fina, levar pelo menos duas opções de casacos, a sombrinha, o cachecol, o chinelo, o tênis extra e o protetor solar.

Tudo isso pra perceber que justo hoje você esqueceu o guarda-chuva.
 
Ela estava indecisa sobre com que roupa sair de casa. Saiu com todas.

Previsão do Clima Tempo para hoje...


 Previsão deste blog para o tempo amanhã.

ManhãTarde
  Noite

Joey vestindo uma moda básica paulistana

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

O futuro é agora

Sabe quando você pensa no futuro e acha que aquele dia em especial vai demorar tanto, mas tanto, que se tem a impressão de que nunca vai chegar?

Mas chega. Sempre chega. Andam chegando, na verdade. Estão aí, à mesa. As coisas, os tempos mais distantes sempre chegam.

O futuro, a velhice  parecem mais reais vendo por essa perspectiva. Ansiosa e aterrorizantemente mais reais.

Ando pondo mais pratos para o jantar.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Nos tempos de escola

Outro dia eu passei na frente da minha antiga escola e vi algumas crianças de uniforme, entrando na perua, no carro dos pais – todas uniformizadas.

E acabei me lembrando de como era estranho marcar com os amigos de fazer algum trabalho fora da escola e ver todo mundo com roupa de gente normal. Tipo uma camisa, shorts de tactel e chinelo.

A sensação era estranha. Parecia impossível um colega da escola ter personalidade, ou se vestir como uma pessoa normal, ou ter uma vida fora da sala de aula. Era um choque. Os olhos estranhavam. Era difícil confiar num colega fora da escola. Dava a impressão de ele não era ele.

Eu e meus colegas uniformizados, na escola Pirata do Tucuruvi. Eu sou o pirata de azul.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011


É engraçado ver algumas pessoas rindo.

Sabe aquelas pessoas que sempre estão sérias, e parecem não rir de nada? Que passam uma impressão de estarem sempre irritadas? Ou de que não suportam uma brincadeirinha? Ver essas pessoas rindo é mais engraçado ainda.

Mas é um engraçado gostoso, traz uma sensação boa, de surpresa. Pode nem ser uma risada, só um sorriso já traz essa impressão. Impressão de que nem tudo está perdido. De que é possível, sim, balançar, fazer bem até mesmo para aqueles de mal com a vida.

Sensação de esperança.

Alegria

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Uma hora a casa cai...

Sabe aqueles momentos da vida em que você se gaba por achar que está levando tudo com máxima excelência - livre de erros -, que os jeitinhos estão sendo dados, mas depois percebe que não é bem assim?

É quase como quando você se acha bom o bastante para andar de bicicleta sem as mãos, mas esse é só um jeito mais fácil de sentir o gosto do próprio sangue.

Uma hora a casa cai, e quando você se julga livre de consequências, ela faz questão de cair em cima de você.

Bem, o negócio é aparar as arestas, e voltar a pôr as mãos no guidão.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Sorrisos irônicos

No meu PC, o Word veio com publicidade:

 
 

E hoje eu tenho raiva de todos vocês, pessoas felizes.
Que ficam me olhando com essas expressões irônicas enquanto eu escrevo.

Vem fazer melhor, então!

URG.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Etiqueta nipônica

Às vezes você é posto à prova pela vida, já percebeu? Ela meio que te trata ironicamente, só pra ficar assistindo à sua reação, esperando pra ver como você vai sair dessa ou daquela situação impertinente.

No final de semana, por exemplo, fui no japonês. Eu, me achando o próprio cônsul do Japão no Brasil, decidi pedir algo diferente. Um Su Udon. Nunca comi, mas tinha um nome engraçado, e esse era o importante.

E, na hora em que o garçom me trouxe o prato, recebi uma cumbuca e uma colher.

COLHER? Mas que raios, foi tão difícil aprender a comer com o hashi, e o cara me traz uma colher. Me foquei na Glorinha Calil e me perguntei: como comer um Su Udon com a colherzinha e não fazer feio?
Tudo que me veio à cabeça foi: Sempre, às vezes, nunca. Não me serviu muito.

Bem, acabei comendo com o hashi mesmo e usei a colher pra beber o caldinho. Espero não ter dado vexame.

Tem uma cara apetitosa

Meu Deus. O que fazer com uma colher?

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Boas Festas

Pois é, pelo jeito o Natal já está chegando.

Brindes que deram hoje, no trabalho
Foto cedida por @MundodaLan