MVIzquierdo

O Lado Esquerdo dos Blogs ou Aquele Blog Onde Você Sente Vergonha Alheia, Mas Tranquilo

Pesquisar neste blog

Translate

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

SEMANA DRUMMOND - Dia do poeta

Dia 31 de outubro deveria ser o dia do poeta. Por respeito à Vida do grande poeta social, Carlos Drummond de Andrade.
Há 109 anos, em Itabira, Minas Gerais, ele nascia. Foi jornalista, cronista, funcionário público, amante das mulheres, das palavras (a cada dia vejo que preferia as mulheres às palavras) e, claro, poeta.

Um José de pouco verbo, mas que se deixava levar pelos pensamentos, ao se sentar em sua cadeira de balanço, se deleitando com as notas alegres de sua viola de bolso e com o aroma sutil de uma frágil rosa do povo, que crescia ali perto do brejo das almas.
Conhecido por ter sempre alguma poesia na ponta do lápis, o nosso saudoso poeta desvendava claros enigmas, como quem revelava o incompreensível sentimento do mundo.

Hoje começa uma semana dedicada ao amigo Carlos.
Para todos os casos, feliz dia do poeta.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

MEGA-MÁ SORTE

Acho que a má sorte deveria ser tão premiada quanto a sorte é.

Outro dia, um amigo do trabalho veio, com jogos de loteria na mão, falar comigo.
“Marcelo, você não acredita nisso. Olha os números que eu joguei na Sena e os números premiados”

Foi realmente um choque. Todos os números tinham uma diferença de mais uma ou menos uma unidade. Como pode isso? Não acredita? Pois veja você mesmo:



E detalhe, a seta roxa é pra realçar que Chapecó, em Santa Catarina, é a cidade natal do cara.

Devia ou não devia ser premiado pela má sorte?

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

IMPORTANTE

O importante é não desanimar.  E repetir para você mesmo... "Não vai doer, não vai doer... não vai doer"

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Dicas de DVD no Metrô

Pescar algumas conversas no metrô não é difícil. Mulheres falando mal do namorado. Professor falando mal de aluno, qualquer um falando mal de todo mundo. Mas o mais legal, instrutivo e cultural são mesmo as DICAS DE DVD.

Um grupo de homens, no metrô, indicou:

5- O golpista: A história de um malandro que leva todo mundo na lábia. A cena de início é muito boa *

4- Meu Malvado Favorito: Um careca malvado que adota umas menininhas e vira a mãe delas. **

3- 1º, 2º e 3º temporadas de Two and a Half Man: O Jake é mais engraçado criança. ***

2- Chaves: em especial o episódio das Lagartixas. A voz do Chaves é engraçada. ****

1- Os Mercenários: O Stallone mata todo mundo *****



E depois das dicas terminaram falando de futebol e da secretária do chefe. Nada fora do normal.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Desenhos no futuro

Pronto. Entrei pro mundo digital: comprei uma tablet. É divertido desenhar nela. Ainda não peguei bem o jeito, mas os traços estão ficando mais firmes. Estes são só esboços, as primeiras rabiscadas.

A assinatura não ficou boa de jeito nenhum
Onde estaremos desenhando daqui uns anos, né?

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Intenso

Imagine um dia caótico. Pronto: hoje.

Se a imaginação não está boa às dez e meia da noite, uma imagem pra ajudar.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Capítulo 2 da série de terror psicológico: Contos do Colégio Militar...

“Atenção, classe! Apresento a vocês o professor Wagner, de Português”

“Boa tarde, Professor”

Era isso todo dia, a cada aula, no colégio Militar em que eu estudei. Os professores chegavam na sala e um aluno se levantava para cumprir a obrigação: apresenta-los. Nós todos éramos obrigados a ficar de pé e os cumprimentar. Tudo dentro da regra de conduta. Era um saco. Ninguém gostava.

Mas não era só isso. Vez ou outra, tínhamos que hastear a bandeira, enquanto cantávamos o hino do Brasil, de São Paulo e do Colégio. Isso mesmo, do colégio. Nós temos... digo, eles têm um hino, que precisa ser cantado!

Esta é a transcrição tirada do wikipédia:

"Com orgulho somos estudantes,
Do Colégio da Polícia Militar,
Nossas cores são vibrantes,
Branca e azul de paz e mar.
Nossos mestres a quem muito amamos,
Ofertamos nossa eterna gratidão.
Saber, honra e disciplina conquistamos,
Hoje somos esperança da nação.
Estribilho
(bis)

Colégio da Polícia Militar,
É fevereiro sua data estudantil,
Pelo bem da educação, batalhar,
Por São Paulo, linda terra do Brasil" (2x)

Letra de Maestro Álvaro dos Santos

Humpf... ainda bem que já passou.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Horário de verão

O pior do horário de verão são os primeiros dias.

É difícil dormir no horário antigo: é cedo demais... o corpo não está acostumado.
É difícil acordar cedo no dia seguinte: é cedo demais... o corpo não está acostumado, e você demorou horas pra cair no sono ontem.
Sem falar que sempre tem alguém que você conhece que se atrasa uma horinha, por causa do novo horário. Quando não é você mesmo.

Mas não se preocupe! É tão normal ficar atrapalhado com o horário de verão que até os relógios da Paulista perderam a hora.

Foto tirada ontem... de tardezinha
Mas depois todo mundo acostuma. E chega até a achar legal.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A vida íntima dos blogueiros

Poxa vida! Estou indignado, olha só a notícia que eu vejo na internet:
“Pesquisa comprova que blogueiros que postam diariamente fazem menos sexo”

Idiotas, mal sabem eles que eu já fazia menos sexo antes de ter este blog. Pesquisa inútil.

Eles acham que sabem tudo:
http://bit.ly/nJq9Oc

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Sobre drogas, carência e amor.

Eu não sou remédio para a sua insegurança e carência. Sou somente paliativo, como seus antigos namorados, cigarros, álcool e drogas. O que provoco em você é de rápida e intensa duração, deixando, após passado o meu efeito, gosto ruim na boca, tendo de volta os seus desconcertados sintomas, agora mais violentos. Deixando-a mais necessitada de mim, e mais, e mais, e mais cigarros e mais namorados.
Ao infinito da insegurança e da carência.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Confissões embaraçosas

Olá, meu nome é Marcelo e eu preciso confessar: sou diferente dos meus amigos. Tenho preferências diferentes.

A questão é: estou me abrindo porque, ultimamente, tenho sofrido discriminações, ameaças e cutucadas indiscretas no Facebook. Bem, vamos logo ao assunto!

Eu... eu... eu gosto de frequentar aulas e palestras! Sim, isso mesmo: sou um caxias.

Sinto vergonha da minha orientação intelectual, pois não foi algo que eu escolhi, simplesmente nasci desse jeito.

Eu comecei a perceber que era diferente dos outros na adolescência. Um fervor diferente crescia dentro de mim, quando os meninos se juntavam na aula de educação física. Eu só pensava... na aula de português! Foi quando comecei a sentar nas primeiras fileiras, e me viciar no cheiro do giz.

Meus pais ainda não aceitam muito bem. E ultimamente tem sido difícil esconder isso dos colegas... já que este é o último semestre do terceiro ano.

Eu já perdi namorada, amigos e o dinheiro do lanche pra um valentão, por causa disso.

Mas quero deixar claro para a sociedade: estou me esforçando pra mudar, e vou tentar, com toda minha força, cabular a última aula para ir ao boteco. Espero que a sociedade me aceite um dia.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Baldeação

Eu andei na linha 4 amarela do metrô! Claro, eu e umas 5 milhões de pessoas, mas ainda soa como algo novo e diferente.

O mais legal da linha 4, tirando toda a modernidade, é, sem dúvida, fazer a baldeação para a linha 2. Você é transportado de um mundo para outro. É como passar de um país híper desenvolvido para o Quênia; de uma mansão inglesa pra minha casa.


Simples

Eu estava lá!

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Elogio ao ócio.

Eu fiz uma coisa muito excitante nesse final de semana! Sabe o quê? Nada.

Sim, nada.

Fazer nada de um tempo pra cá se tornou uma opção, não a falta de uma.

Isso acontece quando você tem milhares de coisas pra fazer: frequentar a faculdade, estudar (algo diferente de “frequentar a faculdade”), trabalhar, namorar, sair com os amigos, se divertir e dormir. Quando essas últimas opções entram pra relação de “coisas pra fazer”, você só pode fazer uma coisa: nada.

Quando você é adolescente, fazer nada é algo perto de ser vagabundo. Quando você passa dessa fase, é fazer algo pra você. Você diz “eu ganhei um tempo pra fazer nada” e fica feliz, porque fazer nada parece ser a única coisa que você poderia fazer de útil nesse momento.

Estou ansioso pra mais alguns dias fazendo nada.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Manual de como não se produzir um curta - Gambiarras

Com certeza uma das coisas que os professores não ensinam na faculdade é: "nem sempre você tem o que precisa, por isso, se vire!"
Não cairia muito bem.

O negócio é usar a imaginação... justamente o que não falta.

Por exemplo: pra ligar os equipamentos de iluminação, normalmente, você precisa de uma tomada de 220. Se você não tem, o que faz? Uma gambiarra!
 
Essa deu medo
Se você quer os primeiros raios de sol, de uma manhã de céu límpido, atravessando as frestas da janela e banhando o rosto do personagem que acorda mansamente, o que você faz? Chora. Depois se recupera e faz... uma gambiarra!

Feito na hora. Com garra!
Essa é a dura realidade.
 
Resultado da gambiarra à cima. O efeito ficou interessante.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Noite medonha

“Ai caralh*, ai caralh*, ai caralh*!” Já ouviu esse funk? Bem, semana passada todo mundo no vagão teve que ouvir.

Uma mulher, já sem paciência, acabou reclamando com o funkeiro. Quando me dei conta, os insultos começaram.

Coitado do carteiro, sentado do lado da janela, que só queria ajudar a mulher:
- Calma, dona. A gente chama o segurança.

Pronto, o nome do DJ agora é Zé Pequeno:
- Chama o segurança, chama polícia, chama a rota! Eu não tenho medo, não. Pode chamar, quero ver. Vai se f*der. Se eu quiser escutar eu vou. Paguei dois contos pra entrar, eu tenho direito. Se ela pedisse com educação. (sic)

A mulher saiu do vagão, derrotada.

O carteiro que tremia até a alma ainda escutou um
- Cê num sabe com quem tá mexendo! Meto bala na sua cara, viado do Caralh*.

E a tradicional ameaça:
- Vou atrás de você, seu cuzã*.

Quando o trem voltou a andar, e todo mundo achou que já tinha acabado, a surpresa: A janela ao lado do carteiro foi estilhaçada com um chute!

No caminho pra casa: carros de polícia, mulher desesperada com bebê no colo ao lado de um carro parado no meio do cruzamento, e mais algumas ambulâncias.

Noite medonha.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Sobre fazer escolhas

Na vida, muitas vezes o que é necessário fazer entra em choque com o que se deseja fazer. É normal.
E dói justamente por isso.

Como, normalmente, assuntos urgentes se sobrepõem a assuntos importantes. É normal.
E dói justamente por isso.

Pelo jeito, o negócio é escolher uma das duas opções, e tentar não entrar em colapso mental e emocional. Dói, simplesmente.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Medo de agulha

Sabe aquela aflição que se sente quando raspam o garfo no fundo da panela?
E aquela tontura que dá quando o parapeito do prédio está colado no seu peito?
Ah! Sem esquecer daquele medo que se tem de coisas idiotas e inofensivas!

Bem, junte tudo isso que temos parte da minha sensação quando vou... tirar sangue.

Pois é, eu tenho medo de agulha.

Já tive até alguns problemas com enfermeiras. Uma vez uma delas teve que ter uma conversa séria comigo sobre coragem e virilidade. Um menino dessa idade não chora por essas coisas. Meus 17 anos foram bem difíceis.

Hoje em dia a coisa melhorou, mas parte da minha coragem e disposição para esticar o braço é 99% dissimulação.

Eu odeio ter que tirar sangue.