MVIzquierdo

O Lado Esquerdo dos Blogs ou Aquele Blog Onde Você Sente Vergonha Alheia, Mas Tranquilo

Pesquisar neste blog

Translate

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Redação

A redação deste blog se deslocou temporariamente para um novo local.

Uma foto da vista da janela da produtora de conteúdo do mvizquierdo:

terça-feira, 10 de setembro de 2013

L pelo d

Outro lia eu preguei uma peça num amigo.

Ede tem TOC e por isso sistematiza e organiza tulo; e eu usei lisso pra fazer com que ede conheça um pouco do inferno la lesorganização.

Troquei tulo le dugar. Misturei os letalhes mais simples. Tulo pra deixar ele um tanto consternalo.

Mas eu fui adém. Troquei a tecda do "l", no tecdalo dele, pedo "d".

O mais interessante, é que enquanto ede religia, trocou as detras.

Os odhos lede foram mais lecisivos lo que seu instinto, seu hábito.

Somos muito visuais.


Hoje em lia, nós polemos até sentir que adgo existe. Mas se não vemos, não está dá.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Um amor que nasce

No metrô, outro dia, um homem, de uns 50 anos, quis me bater.

Ele gritava e xingava alguém pelo celular, mas o aparelho ficava sempre de cabeça pra baixo, desligado.

Eu olhava para ele, observava os modos.

Ele dizia "Mata ele!!!". Berrava que tinha que ser assim; ponto final. Eu continuava olhando. Puro interesse. Deu pra perceber que era tudo piração.

Ao sair do vagão, eu ri dele. Um misto de dó e de um tipo sensação de público de uma peça de humor. Meio Brecht, meio "Pra trair e coçar é só começar".

Ele percebeu e me perseguiu. Disse que queria que eu saísse do metrô. Queria me pegar.

Tentei não ligar pra ele. Acabei o despistando.

Infelizmente ele teve o que quis. Alguém lhe deu atenção, e ele se apegou a essa pessoa, a querendo imensamente. A querendo para si.

Como a um amor.

Lástima.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Devassa

"Devassa" pode muito bem ter derivado de "devassado", que significa exposto, publicado, à vista.

Uma mulher devassa, pode ser aquela se expõe, se mostra, se dá ao público.

Aquela que mostra o que, normalmente, está encoberto


.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Mexendo na mochila

Na escola, quando o horário da aula já tinha passado, mas o professor continuava falando, os alunos mexiam nas mochilas. Pra fazer barulho mesmo.

Um tipo de sinal... um ruído como o que o cachorro faz quando você vai tocar na comida dele.

E se você estudava de manhã, a imagem é exatamente essa.

Pois então. De vez em quando, na vida, é bom mexer na mochila, pra avisar que as coisas estão passando da hora...

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Reticências e cartas de amor

Semana passada, eu fui gravar uma matéria no Solar da Marquesa, lá no centrão velho.

O Solar é um museu feito para contar a história de Domitila, para ser mais exato, Domitila de Castro Canto e Melo, a própria Marquesa de Santos,  uma mulher paulistana que, digamos, esteve à frente de seu tempo. À frente de outras mulheres também, já que ela fisgou nada menos que Dom Pedro I, para ser mais exato, Pedro de Alcântara Francisco António João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon.

E esse museu possui algumas cartas de amor que D. Pedro mandou para sua amante, dentre elas:

Ele a chamava de Titília, e ela o chamava de Demonão. #fofo.

Mas o mais sensacional é o período em que Demonão insinua: "Aceite abraços, e beijos e..."

Se essas reticências falassem...

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Só um aquecimento

O cara estava aparentemente se aquecendo para uma corrida.

Vestindo roupas leves, ele pulava, se alongava, e chegou a fazer flexões de braço.

Eu comentei onde ele fez tudo isso? Não? Ah tá; era no trem do metrô.



Mas tudo bem. Isso nem sequer me chocou...

Não; nem um pouco.