MVIzquierdo

O Lado Esquerdo dos Blogs ou Aquele Blog Onde Você Sente Vergonha Alheia, Mas Tranquilo

Pesquisar neste blog

Translate

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Reminiscência deste instante

Nossa! eu me lembro agorinha de quando eu escrevo um post para o meu blog. "Reminiscência deste instante" é o título.

Quanta saudade deste exato momento.


Aiai, que bons tempos são este agora mesmo e que não voltam nunca mais.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Clima triste

Eu fico triste por pensar que existem pessoas de São Paulo que procuram no Google "clima sp agora"...

... e não têm um janela pra consultar elas mesmas.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

10 - 21 - 2015

Hoje aconteceu uma coisa muito esquisita. 

Um cara apareceu no meu quarto, com um carro muito estiloso e me perguntou se estávamos em Hill Valley. Eu respondi que ele estava em São Paulo.

Ao que ele retrucou "Então algo pior que o 'paradoxo temporal' aconteceu".

Perguntou onde ele conseguiria comprar um skate voador. Disse pra ele que no máximo ele conseguiria comprar um monociclo elétrico.

No final ele me pediu para empurrar o carro até chegar em 88 milhas. Eu disse que tinha compromisso e ele foi embora.

Um cara bem esquisito.



Agradecimento Elaine Perrotte.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Imagens para um poema

A lacuna entre os espasmos

O rio morto

O prato seco

A deformidade de todos nós

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Banana

The brazilian people love the north american people... because of the way they say 'banana'.

Ass: um gringo muito sagaz, no metrô de ontem.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Mentira

João Cabral de Melo Neto - o poeta - em um de seus poemas, disse que não gostava de balé clássico.

Sempre que ele se sentava nas primeiras fileiras do teatro, em meio àqueles leves e suaves movimentos, ele podia ouvir o estrondo do pesado corpo da bailarina batendo no chão.

Leveza mentirosa.


Uma vez, quando eu era criança, chegou na escola o Coelho da Páscoa. Um coelho de 1, 82 metros feito de pano.

E eu podia ver que a manga do coelho era menor que do homem que o vestia. Debaixo do coelho, um braço de gente cabiluda.


Coelho mentiroso.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Banheiro

As mulheres que me criaram sempre me falaram "Quem vê cara não vê coração" ou ainda "Não se julga o livro pela capa".

Outro dia eu fui a um restaurante muito moderno e bonito. Mas quando eu fui ao banheiro, vivi um dos dias mais mau cheirosos da minha vida, no banheiro mais estragado que eu já vira.

E lembrei das mulheres que me criaram.

Porque quando a sabedoria é boa, vale até pra banheiro de restaurante.