MVIzquierdo

O Lado Esquerdo dos Blogs ou Aquele Blog Onde Você Sente Vergonha Alheia, Mas Tranquilo

Pesquisar neste blog

Translate

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Mi

Reclamar da vida ainda é um bom artifício de 'pôr pra fora'.

Mas melhor não exageram. Se não vira mimimi. 

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Às vezes a gente se esforça tanto pra avançar, que, por algum motivo, acaba regredindo e nem percebe.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Não é a dó que tem que determinar aquilo de bom que você faz pras outras pessoas.

Mas sim a vontade de fazer algo de bom pras pessoas.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Preguiça

Outro dia, eu tive preguiça de andar de bicicleta, como acontece na maioria das vezes que eu penso em fazer qualquer esporte.

Mas acabei, numa atitude de vigor e mestria, passando pela preguiça e indo sim pedalar.

Enquanto andava, tive uma sensação boa, que me fez lembrar que o melhor a fazer é ultrapassar a barreira da preguiça, que como o medo, é uma sensação que quer te proteger, mas só atrapalha. Porque quando você está lá, em cima da magrela, sentindo o vento no rosto, sabe que fez a melhor escolha.

Hoje, pela manhã, eu quis, novamente andar de bicicleta, mas senti a tal da preguiça. E pensei, "preciso combater essa preguiça!". Mas fiquei com preguiça de combater a preguiça.

Comi bis.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Crédito

Aquele momento em que você diz que caiu a ligação, mas na realidade acabou o crédito.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Raiva

Quanto das nossas raivas são tristezas inaceitáveis? Inconfessáveis?

Raiva e ódio são tão parecidos com vaidade.


quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Nudez

Descobri esses dias que a minha palavra preferida da língua espanhola é 'ayer'.

E minha palavra preferida da língua portuguesa é definitivamente 'afeto'.


quinta-feira, 10 de novembro de 2016

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Imagens para um poema

O anoitecer.

O resto de comida num prato.

A luz azul nos olhos da garota.


O fim.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Sono lento

Estar sonolento é horrível. É aquele desejo, do fundo da sua alma, de deitar na cama, se espreguiçar e... ahhhhhhhh.


E estar sonolento já é auto-explicativo, você fica com sono e... lento... ahhhhh.


ahhhhhhhh

terça-feira, 25 de outubro de 2016

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Google

O único deus que dá 105.000.000 resultados para as suas preces (em 0,37 segundos).

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Teoria da Conspiração Contra Mim

Ando sendo vigiado, perseguido.


Demiti todos os redatores que eu havia contratado para escrever neste blog. Incluindo eu mesmo.

Bastardos. 


No dia 13 de agosto de 2011, uma senhora veio me perguntar as horas. Eu sai correndo o mais rápido que pude. Nesse mesmo dia, neste exato blog, alguém deixou o seguinte comentário "da hora".

Eles estão por todo parte.

Temo que estejam lendo este post, e PIOR, sem deixar comentários.

Hoje é dia 21, 12 ao contrário. 

De acordo com minhas contas, 12 + 31 dias + 12 anos dividido por 18 horas da tarde, por 12 anos, dá 12. 12 é 21 ao contrário. Faz sentido.


Vou criptografar aqui uma mensagem para meus aliados:

pmãep pmep psalpvap

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Papel

Outro dia um amigo me falou que estava fazendo um trabalho no ""papel"".

Eu fiz algumas pesquisas, e descobri o que ele quis dizer por ""papel"".

Aparentemente era uma coisa feita de árvore, que usavam pra digitar com um utensílio também feito de árvore, que chamavam 'rápiz'.

Ou 'lápis', não sei. Procurei na internet, mas não achei nada sobre.


Bem, pra tentar explicar melhor, era tipo um touchpad, só que não era feito no Brasil.

Era, de acordo com o Wikipedia, feito num antigo país chamado Tilibra. Sobre o qual eu também não achei nada sobre.

Samba

Eu compus um samba mas acabou que virou um roque paulera.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

triste

A palavra triste, em francês, é triste.

A palavra triste, em espanhol, é triste.

E a palavra triste, em italiano, é triste.

Quatro línguas, a mesma tristeza.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Chocolate

Nos dias difíceis, nada melhor do que um chocolate.

Nos dias tristes também.

E nos alegres.

Nos dias de chuva.

E nos dias que não chovem também.


Eu gostaria de entender por que só o cheiro do chocolate já dá uma alegria. Aiai.



segunda-feira, 3 de outubro de 2016

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Pressa 3

Julgar algo como bom ou ruim, é muito difícil.

A gente só sabe mesmo o que foi que aconteceu, depois de um bom tempo - até a vida poder fazer um círculo, e o acontecimento voltar pra você, renovado, ou de punho cerrado, ou de braços abertos.

Não dá pra ter pressa em julgar.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

chão

Me impressiona o chão e sua absurda capacidade de suportar o homem.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

10%

Bem, depois de várias semanas, o blog volta à ativa.

O motivo da distância? Preguiça.

Bem, 30% preguiça, 60% férias.


E nesse tempo, muitas questões: descobrir que existe algo na distância e na partida da memória. Esquecer é o fim.

Talvez o meu maior medo na vida seja esquecer.


Obrigado, blog, por me lembrar que eu posso esquecer, e voltar aqui e recordar e inventar ótimas memórias.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

pressa 2

oi pessoaç e twnho que postaaqui rqapidão pq já tou saindo,. odia hoje quei tá meio tenso emtoão é mlheor eu


e´ isso ai bjsdo






quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Pressa

Eu vejo pessoas, todos os dias, todas as horas, indo para lá e para cá, sempre apressadas e quase nunca olhando de verdade para o caminho em que andam.

Muita gente acaba se esbarrando, ou se assustando com alguém vindo na sua direção.

Me soa como algo normal.

Mas será que sempre foi assim? Será que as pessoas na Polis grega andavam assim também, apressados e desatentos, sempre se esbarrando? É do homem ou deste tempo?

Melhor eu voltar pro meu Pokémon Go.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Elke Maravilha e sex appeal

Há uns dois anos, eu estava produzindo um programa sobre os Beatles, na TV Gazeta.

Uma das pautas era sobre como a banda influenciou a moda. E entre os possíveis entrevistados, estava a Elke.

Eu consegui um dos seus números de celular e, numa tarde, liguei:

- Oi, Elke. Sou produtor da TV Gazeta e gostaria de saber se você tem interesse em ser entrevistada num programa pra falar sobre a influência dos Beatles na moda.

- Puxa... Beatles? Olha, nunca fui muito fã, não viu. Aqueles cabelinhos, todos quadradinhos, né. Tudo menino pra casar.

- Sei

- Sempre achei eles meio sem graça. Gosto mesmo é dos Rolling Stones. Eles são homens, né, têm sex appeal.

- Sei

- Os Beatles não tinham sex appeal, sabe? Acho que não.

- Fica com Deus, Elke.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Pãezinhos afetivos

A comida vai muito além de algo puramente alimentar.

Além é claro de cultural, é também algo muito afetivo.

Minha bisavó - que ainda é viva - há alguns anos fazia um pãozinho salgado de abóbora que todo mundo amava.


Outro dia eu comi um pão que lembrou muito o dela -- e fui levado diretamente para 2001, em uma daquelas tardes de quarta-feira, em que minha tia visitava - e ainda visita - a minha casa.

Pãezinhos afetivos.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Pessoas

Gosto quando pessoas, nas suas relações, criam compensações para as dificuldades e divergências.

E negociação para os entendimentos.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Féria

Eu acho que quem inventou essa história de dizer 'férias' assim, no plural, foi um patrão.

Foi um jeito inteligente de você tirar uma só, mas achar que foram várias.

Boa féria pra quem tá tirando.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Livro

Outro dia, eu estava no metrô, lendo o livro Na Lei Ou Na Marra, do Paulo Markun, e um garoto, de uns 16 anos se sentou do meu lado.

O livro é sobre a ditadura militar e eu estava lendo o capítulo 'Um golpe, muitas explicações'.


O garoto deu aquela olhada na página que eu estava lendo e percebi o interesse dele. Ele ficou sentado por algumas estações e do nada falou comigo.

"Que livro é esse?"

Eu mostrei.

"É um livro de história, sobre o golpe de 64"

"Posso tirar uma foto da capa?"

Ele tirou a foto e se foi. E deu uma sensação de alegria.

De esperança, talvez!

terça-feira, 26 de julho de 2016

Cantoria

Eu cantei no chuveiro outro dia.

Achei que alguém me ouviu e logo me calei, por pena da pessoa e entrei numa enorme depressão enquanto me ensaboava.

Me perguntei por que eu cantava no chuveiro. Respondi "porque todo mundo canta; óbvio".

Mas por que é tão comum esse negócio de cantar no chuveiro?


Eu pensei em alguns motivos:

1- O chuveiro ligado faz um barulho que ajuda que seu canto não seja ouvido por quem está perto. Isso tira um pouco da timidez de pôr a voz pra fora.

2- O chuveiro tem um som que parece o de ovações de um público, como se você estivesse cantando para uma gigantesca plateia ensandecida.

3 - O chuveiro lembra o nosso ser ancestral das cachoeiras ancestrais, e isso ativa em nós a cantoria tribal que os seres faziam em torno das cachoeiras sagradas.

4 - Estar nu e desprotegido, presa fácil para o predador, ativa o medo ancestral do nosso ser ancestral pelo javali ancestral, que nessa condição emitia sons e cantos que faziam com que os companheiros de tribo soubessem que ela estava por lá e vivo.

Cantar no chuveiro...

quarta-feira, 20 de julho de 2016

terça-feira, 19 de julho de 2016

Papai

Toda "Princesinha do Papai" pressupõe um papai que seja Rei.

Pense nisso.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Glúten

Mas e você, o que acha?

Acompanhamento: contém ou não contém glúten?


sexta-feira, 15 de julho de 2016

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Memória

Os especialistas dizem que a memória é evocada a partir de 'gatilhos de memória'.


Eu lembro de devolver o livro quando vejo a pessoa que me emprestou.

Lembro de pôr o lixo pra fora quando vejo o lembrete na geladeira.

Lembro de comer quando... bem, a todo o momento.


Há uns anos eu fiz um X na mão, que era pra eu lembrar de algo muito importante que eu tinha que fazer quando chegasse em casa.

À noite, olhei para o X na minha mão e esqueci porque eu marquei o X.

Memórias...

terça-feira, 12 de julho de 2016

não

Existem dias em que não existe vontade nenhuma de escrever.

Falta de assunto.

Falta de entusiasmo e disposição.


E, nesses dias, dá pra escrever sobre a desejo de não escrever. 

sexta-feira, 8 de julho de 2016

identidade - diversidade

A gente fala muito que o Brasil precisa ter identidade. Que a nossa identidade isso ou aquilo.

Talvez fosse bom lembrar que toda identidade presumida, exclui as identidades que dela não fazem parte. A alteridade não é bem-quista.

E que talvez, e só talvez, a gente pudesse pensar no Brasil não como um país com identidade - mas um país de diversidade.

Porque na diversidade estou eu, você e todos.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Pedreira

"Estamos vivendo a idade da pedra da era moderna"

Um senhor no metrô me falou isso, logo depois de me perguntar se os mitos gregos eram realmente mitos.

"Será mesmo?"

Se as amazonas realmente não existiram.

"Será mesmo?"

Que o Brasil é a terceira maior nação bélica do mundo.

"O vale do silício está aqui!"

Que se um persa viesse ao nosso tempo, olharia nossos advices e logo depois nossos olhos e diria "nós nos comunicávamos com a mente, por telepatia, seus imbecis!"

E voltou com a frase "Estamos vivendo a idade da pedra da era moderna".



O metrô é muito doido.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Petrol Blues

Blues é tristeza, melancolia - fundo do poço.

Blue é azul.


E talvez o fundo do poço seja da cor azul; azul petróleo?

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Sobre rir

Eu me esforçando pra sorrir quando aquela pessoa irritante faz uma piada.




terça-feira, 28 de junho de 2016

Irônico

Tenho percebido que talvez a arte dramática trate de outra coisa, além de conflito. Esse tempo todo a resposta estava de baixo do meu nariz.

Irônico.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Chão

Sempre disseram que deixar as coisas no chão, quando em casa principalmente, é errado.

Mas, qual o problema com o chão?

A cama está no chão.

O armário está no chão.

O fogão está no chão.

A casa está no chão.

Tudo indica que, eu mesmo aqui sentado na cadeira (que está no chão), olhando o computador, só por estar com os pés no chão... estou no chão.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Manhã

Aqueles dias em que, logo de manhã, a vida te avisa que nada vai dar certo. 

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Fome

"Quer esse bilhete de loteria de 27 milhões?"

Não, deixa...

"Quer essa viagem à Disneylândia com o Polegar Vermelho?"

Puxa, tou passando...

"Quer essas ações majoritárias do Facebook?"

Cara, vou deixar pra próxima...

"Quer pizza?"

VOCÊ DISSE.... PIZZA?!



terça-feira, 21 de junho de 2016

Sobre ditadura e emagrecimento

~uma pausa para reflexões político-existenciais~

Há umas semanas, Marina Silva lamentou a morte de Jarbas Passarinho - ex-ministro que, dentre tantas, foi o 'papis' do AI5 - pelos benefícios que trouxe ele para o país (ela elencou alguns que nada tinham a ver com a sua posição terrível na ditadura militar).

Em meio a tanta confusão e assombro, neste momento no Brasil, fico ainda pensando sobre isso. Até agora não tive um veredito categórico. O que isso significou, para a saúde da nossa democracia e da nossa consciência coletiva?

Até que ponto exaltar os benefícios do assassino na vida da vítima? -  nenhum, tudo indica.

Mas ele era humano, e por isso, absolutamente paradoxal - provavelmente seus netos o amaram.

Mas, como por exemplo Walter White, um dos grandes anti-heróis da TV, em meio aos seus assombrosos atos, faz com que olhemos para o seu coração, que esconde uma beleza - mas aí é só uma história de ficção. Mas até que ponto é real?

Por fim, talvez exaltar Jarbas seja como alguém que, depois de alguns dias com uma virose quase mortal, vomitando e com uma brutal diarreia, passado o desastre, olha pra si, já bem e recuperado e diz "Olha aí, que bom, eu emagreci!"

Conflitos internos e absolutamente desconexos.

~ voltaremos amanhã com a programação banal ~

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Vênus

Eu achei que fosse um cara legal.

Mas descobri que eu tenho vênus em capricórnio.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Pinhão

Dizem que o certo é quase viver em êxtase.

Coma tudo. Treine tudo. Use tudo. Deseje tudo. Mate tudo.


Mas é que às vezes dá um soninho e... ahhhhhh (bocejo); alguém trouxe esse pinhão aqui, que dizem que nem faz tão mal e nem tão bem.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Não-post

Por mais que pareça, este não é um post deste blog. Nem de outro.

É um não-post.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

História sem fim

Ler 700 páginas de um livro de história de 350 páginas.

É possível, quando se lê duas vezes cada capítulo.

Além de possível, desesperador. Ô livro que não acaba.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Imagens para um poema

o celular entendiado

a máquina quebrada

o desastre que trabalha entre nós


a saudade que zomba da sua sombra

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Em cima do muro

De lá dá pra ver os dois lados, de cima.

Em cima do muro é o primeiro lugar onde nós temos de ficar.

quinta-feira, 2 de junho de 2016

O problema sou eu e não você

O problema somos todos nós - esses 7 bilhões de miseráveis.

Mas, realmente, principalmente você.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

A história social do bigode

Hoje eu sei porque os homens inventaram o bigode: para não deixar o buço suado.

Constatei isso nas semanas em que fiz a barba com mais frequência nas últimas semanas.

Sim, sem dúvida. Os homens, mesmo não possuindo sudorese excessiva no buço, começaram a usar o bigode para esconder aquelas gotículas irritantes de suor. E com o tempo virou moda.

Houve alguns puristas que não gostaram da banalização do bigode. Mas foi inevitável.

Com o tempo, burgueses adotaram o bigode. Depois intelectuais. Depois deles artistas. E só daí as pessoas comuns, até chegarem nos hipsters, hoje em dia.


Aqui vão grandes nomes da história que já levantaram a bandeira do bigode:


salvador-dali-mustache





Either fictional, historical or tyrannical these men have one thing in common; their mustaches.  Albert Einstein-Scientist.Friedrich Nietzsche's magnificent mustache.




Either fictional, historical or tyrannical these men have one thing in common; their mustaches.  Groucho Marx-Actor.







Either fictional, historical or tyrannical these men have one thing in common; their mustaches.  Ned Flanders-Cartoon character.Milk Mustache - finddailyjoy.com

terça-feira, 24 de maio de 2016

Desnovidade

Eu tinha uma novidade pra contar.

Mas acabou que não contei e no final, a novidade acabou não vingando.

Eu tenho agora uma desnovidade.


Em tempo: "desnovidade" me lembrou "desaniversário", da história da Alice.

Hoje, por acaso, é meu desaniversário! Desparabéns pra mim.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Sobre aprender

Quantas vezes a gente precisa aprender a mesma coisa, até aprender alguma coisa de verdade?

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Spinning

Há uns anos, eu vi um filme alemão independente, numa mostra aqui de São Paulo.

O diretor, que estreava seu primeiro longa, voou até aqui e estava lá, na sessão, animadíssimo; antes de começar a rodar o filme, falou um pouco sobre a dificuldade que foi fazê-lo, e só daí então começamos a assisti-lo, todos juntos.

Minutos depois, bum, um problema com a legenda. Toda fora de sincronia e, se me lembro bem, em inglês. Foi um desaste. Teve quem não ligasse, como eu, e teve quem saiu de lá reclamando e puto.

O filme parou durante uns 20 minutos. O diretor, absolutamente frustrado com o que estava acontecendo, saiu da sala de cinema.

Depois o problema com a legenda foi resolvido e voltaram a passar o filme e o diretor voltou à sala.


No fim da sessão, fui dar os parabéns a ele. Falar que, apesar do que aconteceu, deu pra entender toda a linha narrativa.

Ele agradeceu, e comentou com bom humor que, enquanto o filme dele era destruído na sala de cinema, ele saiu pra fumar e praguejar, na rua. Mas viu uma daquelas academias com enormes janelas. Disse que ficou olhando as pessoas fazendo sua aula de spinning. E percebeu que, para além da sensação de desgraça e fim do mundo e tristeza dele, aparentemente, ainda existia uma felicidade totalmente alheia a ele e ao seu filme. E se sentiu melhor.

Foi um grande aprendizado.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

terça-feira, 17 de maio de 2016

Pombas

Tenho percebido que as pombas andam muito atenciosas.

Antigamente, era só chegar perto de uma que ela saia voando. Mas ontem eu e uma pomba andamos juntos durante uns dois metros.

Ela, bem ao meu lado, percebendo que eu às vezes quase esbarrava nela, simplesmente andava para um pouco mais longe. Provavelmente pra não me atrapalhar, já que eu ando mais rápido. Atenciosíssima.


O que está acontecendo com os seres humanos, que até as pombas estão mais civilizadas e humanas do que nós?

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Futuro

Nicholas, o meu priminho, nasceu na quinta passada, no meio do impeachment, quando Dilma foi afastada.

Isso me fez lembrar; lembrar que minha irmã nasceu no dia em que Collor sofreu também seu impeachment.

E apesar da absoluta confusão política e ideológica no Brasil, o cosmo -  a vida - ainda dá uma luz, uma alegria que te faz reavaliar todo o terror de um tempo e pensar só na beleza de um futuro possível.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Frio

O inverno está chegando, e um pouco antes dele a temporada de frio.

Tempo de roupas mais sóbrias
E sem-tetos mais bêbados.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

grrrr

Quanto da nossa agressividade com os outros vem simplesmente do desejo de descarregar nossas próprias frustrações ou raivas de outras matérias?

terça-feira, 3 de maio de 2016

SMS

Hoje pela manhã, nesta manhã sem whatsapp, o cara sentado ao meu lado no metrô estava numa DR com a namorada... por SMS.

Aparentemente ele não deu satisfação que foi dormir, na noite anterior.


Calma, moça. Você pode voltar a ver o horário da última visualização dele.


O mundo já voltou ao normal, com a volta do whatsapp.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Garagem

Eu descobri que há décadas atrás. na garagem de casa, existia um pequeno jardim com rosas e um portão bem baixinho. Cabia só um carro.

Depois, o jardim foi extinto e o portão foi trocado por um bem grande. Cabiam já dois carros.


Hoje, na pequena reforma, o portão é tecnológico e abre com o poder da minha mente. Tem porteiro eletrônico que manda mendigos embora por um sensor sem sensibilidade alguma. E um capacho escrito "Get out, MF". Cabem 3 carros e uma moto.


Eu só queria voltar no tempo, e sentir o cheiro daquele pequeno jardim.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Água

Uma das coisas legais, a meu ver, sobre água é que (tirando o fato óbvio de que ela te mantém vivo) não existe gula em relação a ela.


Eu bebo muita água, gosto de ver um copo cheio. Mas quando estou satisfeito, eu simplesmente paro.


Sem exageros - apenas necessidade.


Um adendo:
Eu conheci um cara aqui em São Paulo. Ele é nordestino e, no passado, quando no nordeste, passou muita necessidade; a maior era a sede.

E ele conta que hoje em dia, se alguém oferece a ele um copo d'água, por mais que ele não esteja com sede, aceita. Lembrando dos tempos de boca seca.

Água...

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Futuros velhos...

Às vezes eu fico pensando que, daqui uns 30, 40 anos, ou muito menos, veremos muitas senhoras e senhores tatuados.

E nossos netos nos olharão nos olhos e dirão sem muito pudor

"O vô Bruno e a vó Nina ficam falando pra eu ser menos bagunceiro e mais tatuado. Velhos..."

Nós, futuros velhos...

terça-feira, 26 de abril de 2016

Ácaros

Outro dia eu li uma matéria no jornal dizendo que a maior incidência de alergia entre os brasileiros é pelas fezes dos ácaros.

Depois de uns segundos meditando sobre esse dado, cheguei a uma conclusão significativa:

Se as fezes dos ácaros das nossas fronhas têm esse poder sobre nós, que batalhas podemos realmente vencer na vida?


Este mundo e seus ácaros enfezados são absoluta miséria.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

, vírgula,

É horrível, quando alguém, põe vírgulas, onde, ele acha, que tem, que pôr e, não onde realmente, ele precisa,

quarta-feira, 13 de abril de 2016

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Apelo

a que apelo atende o desejo de se esquecer?

a que apelo atende a leoa, que caça?


a que apelo, o triste fim de todos nós?

sexta-feira, 8 de abril de 2016

São Paulo tem estrelas no outono

Voltar tarde pra casa pode ser horrível quando você tem que acordar cedo no dia seguinte.

Mas quando se chega tarde, por estes dias, em São Paulo, se tem um céu tão lindo. Totalmente estrelado - como pessoas dizem que não acontece por aqui. Pode não se comparar a outros céus, mas acontece sim!

Acordar cedo não importa mais.



Na pequena reforma em casa por enquanto a garagem não tem telha. Olhar para o céu, de dentro de casa e poder ver tanto brilho. Estrelha.

É um privilégio estar em São Paulo neste começo de outono.

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Nankin

Às vezes o cheiro das coisas leva a gente para longe.

Um aroma particular, marcado na sua história, tem a capacidade de te levar a ter aqueles flashes, com imagens do seu passado.

Tão rápido que é quase impossível de ver que imagem se formou na sua mente -- e já se foi.

E a sensação de nostalgia, então?!



Outro dia, eu senti um cheiro de nankin. Do nada. Longe de qualquer vestígio da tinta.


E fui levado para 2001.

Mó legal.

terça-feira, 5 de abril de 2016

Respirar

Todo mundo precisa ou quer sair um pouco para respirar.

Ver o mundo de fora.

Poder crescer o bastante, e ultrapassar grades sujas.




sexta-feira, 1 de abril de 2016

quinta-feira, 31 de março de 2016

Bigode e gravatas

Tenho a impressão de que os homens que primeiro inventaram o bigode, o fizeram por um motivo específico - não ter que ficar secando em cima os beiços, quando suavam, nos dias calor.

Com o tempo o bigode perdeu seu sentido prático e virou moda e estilo.


Como as primeiras gravatas, que talvez um dia tenham aquecido a garganta de muitos homens, nos dias de frio, e hoje... bem, hoje são só gravatas.

quarta-feira, 30 de março de 2016

Música

Batimento cardíaco (rythmos) e ar nos pulmões (melos).

Ritmo e melodia são mais que música.

São corpo com vida.

terça-feira, 29 de março de 2016

segunda-feira, 28 de março de 2016

1 centavo

Eu estava num mercadinho na Paulista e, enquanto eu passava pelo caixa, um dos funcionários falou para o outro

"Não, não. Você só dá essas moedinhas de um centavo se o cliente exigir o troco. Ouviu?!"


Mal posso esperar para comprar qualquer coisa,99 centavos.

domingo, 20 de março de 2016

A diferença entre o ser humano e os outros bichos é que...

... ele é o único que sente culpa de ter comido o javali inteiro.

... ele corre por diversão.

... ele faz questão de tirar o pelo quando tem, e pôr quando caiu.

... ele cria bichos virtuais pra abandonar os reais.



.... ele pensa que sabe alguma coisa.

terça-feira, 15 de março de 2016

Desculpa a demora pra responder...

... é que eu tava te dando um gelo pra não parecer que essa conversa é importante.

... é que eu dei print nessa conversa e mandei pra um grupo do meu trabalho. Rimos muito.

... é que eu tive que responder mensagens realmente importantes.


... é que eu não sabia se acoçado era com ç ou ss.

segunda-feira, 14 de março de 2016

Elevadorista

Elevador em espanhol é ascensor.

Ascensorista é aquela pessoa que aperta o botão do andar pra você - em espanhol e em português também...

Em vez de ascensorista, não tinha que ser 'elevadorista'?

quinta-feira, 10 de março de 2016

quarta-feira, 9 de março de 2016

Caidinha

No metrô, ouvi uma garota falando com sua amiga

"Para com isso. Você é muito cega. Ela tá caidinha por você"


Fico pensando nessa expressão "caidinha".


Tenho a impressão de que saiu do vocabulário têxtil, ou do antigo mundo dos alfaiates.

Quando o esmero da roupa era seu caimento - quando era feito pra você e era só vestir.

terça-feira, 8 de março de 2016

Tradução Livre

Às vezes eu tenho a tendência de traduzir eau de toilette como água de privada.

O tipo de interpretação que não ajudaria nas vendas.


Eau de toilette, pour l'homme
Água de privada, para o homem 

sexta-feira, 4 de março de 2016

Saudade e amor

'Saudade' é uma palavra bem banal aqui no Brasil. Em São Paulo pelo menos é.

Mas eu vejo 'saudade' como uma palavra forte demais; intensa. Que não dá pra usar pra qualquer perda, de tão grandiosa.


'Saudade' seja talvez a palavra mais forte dos sentimentos de falta.

Assim como 'amor' é a mais forte dos sentimentos de afeto.

quinta-feira, 3 de março de 2016

Arara

Existe uma escola literária que prega a ideia de que "Eu fiquei uma arara" é a expressão de ira mais engraçada da língua portuguesa.

quarta-feira, 2 de março de 2016

Trumbo, Rosa e Coelho na Banheira

Eu tive um professor de literatura em língua portuguesa que dizia que Guimarães Rosa, obcecado por leitura, em muitas madrugadas enchia sua banheira de água e gelo e nela mergulhava, para se manter acordado e continuar a ler.


Eu assisti ao filme sobre a vida do roteirista Dalton Trumbo. Ele, para ganhar tempo e escrever mais, mudou seu escritório para dentro do banheiro, sua cadeira era a banheira - cheia de água e espuma. Gasta-se muito tempo tomando banho.


Essas figuras, que têm essas atitudes extremas e até obsessivas em relação ao seu trabalho me fascinam.

Qual é a minha obsessão? Qual é a minha loucura para me manter ativo e produtivo?


Vou voltar a ler o livro do Paulo Coelho. Ele não me põe essas ideias ruins na cabeça.



ps- quando eu disse que estava lendo Paulo Coelho foi apenas uma piada.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Branco

Encarar uma folha em branco é muito complexo - difícil - desesperador.

Por isso, ponho aqui algo para me acalmar...



sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Apelo

A que apelo atende o medo do escuro?

A que apelo atende o desejo pela silhueta à luz da lua?


A que apelo, da chuva que anoitece a tarde?

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Teoria da Conspiração Contra Mim

Se eu quero atravessar?
NÃO LEVANTE ESTA PLACA PARA MIM!

Quem sou eu?
NÃO TE IMPORTA!

O que eu faço aqui?
NÃO É DA SUA CONTA!

Quanto eu calço?
41!

Essa foi a conversa que eu travei há pouco com um guarda de trânsito em uma das paralelas da Avenida Paulista.

Esses malditos conspiradores estão se aproximando cada vez mais de formas doentias DOENTIAS. 

Eles podem estar me seguindo. Lendo meus posts. E o pior, SEM DEIXAR COMENTÁRIOS. 

Vou criptografar aqui uma mensagem para meus aliados.


RECEITA DE BOLO DE FUBÁ DE CANECA:

1 ovo pequeno
2 conspiradores
3 colheres  de óleo
7 ruas me perseguiram
4 colheres rasas de açúcar mascavo
4 colheres de leite morno
3 horas da tarde
2 colheres rasas de fubá
100 noção
4 colheres rasas de farinha de trigo
1 colher de fermento em pó

Preparo:

Coloque o ovo numa caneca e bata EM MIM ATÉ ME DEIXAR TONTO
Ponha o óleo, o açúcar, o leite ,UM CADERNINHO DA COQUETEL COM A PERGUNTA "CONTRÁRIO DE SIM"  e o fubá e faça um mix
Coloque a farinha de trigo e o fermento e mexa 
Unte outra caneca com óleo DE CARRO E UM FREIO CORTADO e farinha 
Leve por três minutos no BANHEIRO DE UM HOTEL NO SACOMÃ microondas em potência máxima


Não estou seguro. Mas o bolo ficou ótimo.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Macauli

Outro dia, no metrô, um cara entrou no vagão. Entrou falando no celular com um amigo.


Trombou na porta, pisou em falso e quase caiu, segurou firme o celular e falou:

"Nassa, véi. Ups. Tou Macauli Cauquim aqui. Doidão"


Se sentou no chão e começou a brincar com seu dedão do pé.


O metrô de São Paulo é muito Macauli Cauquim.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Posição dos Astros

Às vezes o mundo se torna massivo. Difícil.

Nada dá certo. As coisas não funcionam.

Você fica abatido e triste.


Talvez seja somente a posição dos astros...



Acho que a Ellen tinha que trocar com o Spacey. A Julia tinha que estar no lugar do Bradley e o Jared no lado esquerdo da foto.





Cara, tudo isso me deixa tão triste.




quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Procurando o Carnaval

Neste carnaval, a redação deste blog estava trabalhando muito fazendo um teste de qualidade para os blocos de São Paulo (para aqueles que disseram que eu estava "me divertindo").

Eu encontrei alguns amigos, colegas de trabalho e outros centros de pesquisa de blogs parceiros.

Mas nada se compara a quem eu achei no meio do Bloco do Jegue Elétrico.

Eu estava lá dançan... digo, pesquisando, e tirei uma foto da paisagem, até aí normal:


Mas quando eu dei zoom e olhei de perto... 


Eu achei a Dory *.*

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Sacripantas

Existe uma corrente filosófica que diz que "sacripantas" é a palavra mais engraçada do português.

Filósofos muito sacripantas.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Pele

Existem momentos em que as sensações ficam à flor da pele.


O que é ruim é muito ruim.

O que é bom é muito bom.


Momento de depuração. De necessidade de dizer tudo. E resolver as dúvidas.


Ou se cobrir no escuro ou sair no sol.


segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Imagens para um poema

o rochedo rolando a ribanceira

pés descalços

a ponte improvisada


o garoto que se pergunta sobre o futuro

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Silêncio

Dizem que o silêncio é uma prece.

Dizem que deus não fala - tem uma comunicação inefável.


O silêncio é pois uma palavra de conforto do cosmo - a prece verdadeira.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Nada

Nos primeiros anos de escola, quando eu estava começando a estudar matemática (e começando a não entender), a profa Bete disse:

"Zero? Bem, zero é a mesma coisa que nada, Marcelo"

Hoje em dia, eu gostaria de entender como que R$1.000.000.000,00 é o 1 com um monte nada, e vale tanto!


Ela que não valeu muita coisa.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Songa

Existem motivos para crer que a palavra 'songa' é a palavra mais engraçado do planeta.

E a mais songa, também.



Este blogue é muito songa.

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Fim

O fim das angústias...

O fim do terror da espera...

O fim da pressão de existir...


.. quando finalmente chega o aviso da livraria dizendo que você pode ir retirar o livro comprado pelo site.


Ufa...

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Genealogia

Tenho a impressão de que 'falso' e 'fácil' têm a mesma genealogia.

Pra uma conversa de bar.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Gordo

Umas das minhas atitudes de gordo é deixar o melhor do prato para o final.

É uma satisfação absoluta deixar o gostinho daquele melhor pedacinho do hambúrguer por último.


Mas o ruim é quando eu pego muita comida. E odeio - ODEIO - quando aquele maldito melhor pedacinho que eu não comi pra deixar como meu grand finale simplesmente não cabe mais.

E eu preciso abandoná-lo, como um resto de pão velho.



Preciso voltar para a terapia.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Imagens para um poema

O Puro branco

O incêndio na fábrica

O pano que cobre o morto


Todos de olhos fechados

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Katharos

Katharos era um termo médico, na Grécia Antiga, que significava 'limpeza', 'pureza' - até mesmo 'clareza'.

Aristóteles levou o conceito para a Tragédia, que como remédios, limpava a alma de suas tristezas e doenças.

Katharos com o tempo virou Catarse - uma limpeza, como a tragédia, o espirro, o suor e... o CATARRO.


E minha cabeça simplesmente explodiu.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

China

Eu leio muito - muito mesmo.

Leio de tudo - principalmente livros.


Mas, apesar disso, acho que o que eu mais li na minha vida foi a frase "made in China".



Este é um blog com peças made in China, montado no Brasil.